Inspeção em Vasos de Pressão

Os vasos de pressão são utilizados em diversos processos atualmente e existem em números bem maiores que as caldeiras. Trabalhando com diversos tipos de fluido, os vasos são cruciais para o funcionamento da maior parte das indústrias nos dias de hoje. Por trabalharem sob pressão e, ainda, poderem trabalhar com fluidos tóxicos, inflamáveis ou combustíveis, para que tenham sua segurança garantida, devem ser inspecionados por profissionais habilitados.

São reservatórios projetados para resistir com segurança a pressões internas diferentes da pressão atmosférica, ou submetidos à pressão externa, cumprindo assim a sua função básica no processo no qual estão inseridos.

O que é importante saber sobre
VASOS DE PRESSÃO

  • Classe de fluido
  • Potencial de risco
  • Categoria
  • Itens obrigatórios
  • Instalação
  • Operação
  • Placa de identificação
  • Documentação obrigatória
  • Capacitação de operador
  • Inspeção de vaso de pressão
  • Dispositivo de segurança
  • Indicador de pressão
  • Identificação de vaso de pressão
  • Categoria do vaso de pressão
  • Fluidos de serviço
  • Tipo do vaso de pressão
  • Tipo de inspeção executada
  • Data de início e término da inspeção
  • Descrição das inspeções, exames e testes executados
  • Registro fotográfico das anomalias
  • Resultado das inspeções e intervenções executadas
  • Recomendações e providências necessárias
  • Parecer conclusivo quanto a integridade do vaso de pressão
  • Data prevista para a próxima inspeção de segurança
  • Nome legível, assinatura e número do registro no conselho profissional do PH e nome legível e assinatura de técnicos que participaram da inspeção.

QUAIS OS BENEFÍCIOS

Prevenção de Acidentes
Quando as inspeções dos vasos de pressão estão dentro do prazo, os riscos de acidentes diminuem significativamente. Com essa ação, você protege seus colaboradores e o ambiente do seu empreendimento de possíveis acidentes.
Prevenção de não conformidades
Ao realizar as inspeções, você garante a aprovação em fiscalizações do corpo de bombeiros, do Serviço de Inspeção do Trabalho (antigo MTE) e auditorias internas e externas, de modo que sua empresa esteja sempre regular perante aos órgãos responsáveis.
Prevenção contra multas
O relatório de inspeção contém as recomendações necessárias para a adequação do equipamento perante às legislações em vigor, de modo que a empresa tenha conhecimento das ações a serem tomadas visando não ser multada.

QUANDO DEVO FAZER A
INSPEÇÃO DE VASOS DE PRESSÃO?

Toda empresa que possua vasos de pressão precisa atender às exigências descritas na Norma Regulamentadora NR 13. Ela estabelece requisitos mínimos para gestão da integridade estrutural de vasos de pressão nos aspectos relacionados à instalação, inspeção, operação e manutenção, visando à segurança e à saúde dos trabalhadores. Confira abaixo quando cada tipo de inspeção deve ser realizada.

Este tipo de inspeção deve ser realizada em vasos de pressão novos, antes de sua entrada em funcionamento, no local definitivo de instalação, devendo compreender exames externo e interno.

Na falta de comprovação documental de que o Teste Hidrostático TH tenha sido realizado na fase de fabricação, se aplicará o disposto a seguir:

Para os vasos de pressão fabricados ou importados a partir da vigência da Portaria MTE n.º 594, de 28 de abril de 2014, o TH deve ser feito durante a inspeção de segurança inicial.

Para os vasos de pressão em operação antes da vigência da Portaria MTE n.º 594, de 28 de abril de 2014, a execução do TH fica a critério do PH e, caso seja necessária à sua realização, o TH deve ser realizado até a próxima inspeção de segurança periódica interna.

A inspeção de segurança periódica, constituída por exames externo e interno, deve ser realizada com base nas normas técnicas vigentes, além da NR 13, tendo seu prazo de inspeção definido pelo PH, não podendo exceder aos prazos máximos estabelecidos na NR 13.

A inspeção de segurança extraordinária deve ser feita nas seguintes oportunidades:

  • Sempre que o vaso de pressão for danificado por acidente ou outra ocorrência que comprometa sua segurança.
  • Quando o vaso de pressão for submetido a reparo ou alterações importantes, capazes de alterar sua condição de segurança.
  • Antes do vaso de pressão ser recolocado em funcionamento, quando permanecer inativo por mais de 12 (doze) meses.
  • Quando houver alteração do local de instalação do vaso de pressão, exceto para vasos móveis.