Treinamentos

Caldeiras e Unidades de Processos demandam operadores qualificados. Além de uma exigência para o bom funcionamento e operação dos sistemas, a capacitação dos operadores é uma exigência na NR-13, que trata sobre o assunto em seu Anexo I. Um instrutor qualificado pode fazer toda a diferença entre um operador que “apenas aperta os botões” e um operador que seja capaz de entender e avaliar, de fato, o processo no qual está inserido.

São considerados operadores de caldeira e unidades de processo aqueles que satisfizerem o disposto nos itens A e B, respectivamente, do Anexo I da NR 13.

O que é importante saber sobre OPERAÇÕES DE CALDEIRAS E UNIDADES DE PROCESSO

  • Anexo I da NR 13
  • Operador de unidade de processo
  • Operador de caldeira
  • Pré-requisitos
  • Itens obrigatórios
  • Instrutores especialistas
  • Aulas expositivas
  • Material didático
  • Powerpoint profissional
  • Exercícios
  • Vídeos
  • Avaliação
  • Visita técnica

QUAIS OS BENEFÍCIOS

Prevenção de Acidentes
Quando operadores qualificados estão à frente da operação dos equipamentos, o conhecimento técnico empregado na operação dá, ao operador, uma melhor capacidade de compreender os processos e, consequentemente, realizar uma operação mais eficiente e segura desses equipamentos que comportam grandes riscos, principalmente no tocante a situações de emergência.
Operação Mais Eficiente
Operadores bem capacitados são dotados de uma melhor noção do zelo, do cuidado e da atenção que devem ter, ao operarem equipamentos críticos ao processo de qualquer indústria. O conhecimento técnico adquirido em um bom curso de capacitação faz com que os operadores tenham maior autonomia na operação dos processos e, consequentemente, que dependam menos de seus supervisores, tornando-se mais independentes e profissionais mais qualificados.
Prevenção Contra Multas
Ao realizar o treinamento de segurança na operação de caldeiras ou unidades de processo, sua empresa garante o cumprimento à NR 13, no que se refere, especialmente, ao Anexo I – Capacitação de Pessoal. Com isso, ela garante a conformidade ao passar por auditorias e fiscalizações, principalmente as do SIT (Serviço de Inspeção do Trabalho – antigo Ministério do Trabalho e Emprego).

QUANDO DEVO REALIZAR OS TREINAMENTOS?

Toda empresa que possua caldeiras e vasos de pressão (enquadrados nas categorias I e II) deve possuir operadores treinados e qualificados, em conformidade com o estabelecido na NR 13. Confira abaixo quando cada tipo de treinamento deve ser realizado.

O Treinamento de Segurança na Operação de Caldeiras ou Unidades de Processos deve ser realizado sempre que um colaborador tenha de assumir a função de operador e deve ser realizado, logicamente, antes do mesmo assumir a função e deve, obrigatoriamente:

a) ser supervisionado tecnicamente por PH;

b) ser ministrado por profissionais capacitados para esse fim;

c) obedecer, no mínimo, ao currículo proposto nos itens A2 e B2, do Anexo I, da NR 13;

d) ocorrer com o acompanhamento da prática profissional supervisionada;

e) ser exclusivamente na modalidade presencial;

f) ter carga horária mínima de 40 (quarenta) horas.

A prática profissional supervisionada deve ser realizada sempre após a realização do Treinamento de Segurança na Operação de Caldeiras ou Unidades de Processos.

Para caldeiras, a prática profissional supervisionada possui carga horária de acordo com a categoria da caldeira, sendo 60 (sessenta) horas para caldeiras categoria B e 80 (oitenta) horas para caldeiras categoria A.

Para unidades de processo, a prática profissional supervisionada possui carga horária de 300 (trezentas) horas.

O supervisor da prática deve ser um profissional com conhecimento na operação de caldeiras ou unidades de processo, por exemplo:

  • Chefe da operação
  • Operadores-chefe
  • Engenheiro responsável pela planta
  • Um operador mais experiente
  • Profissional habilitado

O treinamento de atualização dos operadores de caldeiras e unidades de processo não possui periodicidade nem carga-horária fixadas pela NR 13. Contudo, empresas que tem consciência de boas práticas operacionais realizam o treinamento de atualização anualmente.

A legislação obriga, todavia, a realização do treinamento de atualização dos operadores de caldeira quando:

  • Ocorrer modificação na caldeira.
  • Ocorrer acidentes e/ou incidentes de alto potencial, que envolvam a operação da caldeira.
  • Houver recorrência de incidentes.